Programação

Baby Dolls – uma exposição de bonecas (intervenção urbana) 

Performance

Baby Dools é uma performance de bonecas, uma intervenção urbana para três atrizes e uma dramaturga. A partir de referências da arte contemporânea, procedimentos de corpo-instalação e a obra do artista plástico Artur Barrio, Baby Dools discute a invenção do feminino. Monumentos animados das mulheres objetos convidam os transeuntes a brincar. Mulheres princesas, mulheres noivas, mulheres dóceis, mulheres mudas. Logo, essas bonecas serão mulheres mortas, marcadas a giz no chão. A intervenção vem provocando interrupções no cotidiano dos transeuntes que, desavisados, se deparam com ela. A ação visa destruir os estereótipos que se reproduzem e desorganizar as imagens dadas, permitindo que uma fenda se reproduza nos sentidos.

Apresentação: 30 de junho, 01 e 02 de julho
Local: não será divulgado (a idéia do grupo é surpreender o publico)
Horário: 15h
Ingressos: Gratuito
Duração: de 50 a 70 minutos
Classificação indicativa: Livre para todos os públicos

 Tio Vânia

Peça escrita entre 1896 e 1897 por Anton Tchekhov, Tio Vânia tem como um de seus temas centrais a perda inevitável das ilusões e a conseqüente obrigação do homem de enfrentar o futuro. O protagonista Ivan Petrovitch Voinítski, também chamado Vânia, tem quase cinqüenta anos e descobre que até então desempenhou um papel secundário na vida. Essa tomada de consciência acontece quando seu cunhado e dono das terras onde vive e trabalha, o professor aposentado Serebriácov, volta a morar no campo e traz consigo sua nova esposa, a linda e jovem Helena, que desperta a paixão do fazendeiro e de seu amigo Ástrov, um médico com idéias originais e progressistas. Para Vânia, toda a sua vida foi dissipada na dedicação cega e braçal a um mestre que nada tinha para ensinar. Esse sentimento demasiado humano do próprio fracasso está presente não só no tio, mas em todas as personagens que habitam ou visitam a fazenda. Sônia sua jovem sobrinha, filha de Serebriácov, talvez seja a única que ainda é capaz de acreditar e pregar novas utopias.

Ficha técnica:
Direção: Yara de Novaes
Texto: Anton Tchékhov
Elenco: Antonio Edson; Arildo de Barros; Eduardo Moreira; Fernanda Vianna; Paulo André; Teuda Bara. Atriz convidada: Mariana LimaMuniz

 Apresentação: 30 de junho e 01 de julho
Local: Teatro São Pedro
Horário: 21h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira), e R$ 5,00 (meia-entrada)
Workshop do Grupo Galpão
Dia 1º/07: Bate-papo com o público das 14h às 16h
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos

Coreografia de Cordel

Dança contemporânea

Projeto concebido pela Fundação Clóvis Salgado em 2004, Coreografia de Cordel é resultado de uma pesquisa realizada pelos integrantes da Cia. de Dança Palácio das Artes em Medina, cidade do interior de Minas Gerais, onde o grupo pesquisou e vivenciou os hábitos e a cultura local. Elaborado a partir do aprofundamento do grupo no método Bailarino-Pesquisador-Intéprete (BPI), de Graziela Rodrigues, Coreografia de Cordel foi dirigido por Cristina Machado e contou com a colaboração de pesquisadores da área de dança, teatro, artes visuais, literatura, antropologia e gestão cultural.

Ficha técnica:
Direção Coreográfica: Tuca Pinheiro

Apresentação: 02 e 03 de julho
Local: Teatro São Pedro
Horário: Dia 02 de julho – 21h e 03 de julho – 18h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira), e R$ 5,00 (meia-entrada)
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos
Duração: 75 minutos

Cortiços

Realismo / Teatro de Grupo

O texto “O Cortiço”, do autor brasileiro Aluísio Azevedo, foi o princípio de investigação para revelar as idéias que são discutidas no espetáculo Cortiços. Através da sintonia entre os intérpretes e personagens, as ações e relações contidas no texto tornam-se prioridades. O romance fornece pistas e são feitas escolhas que permitem detectar as tensões nas vidas das personagens como habitantes de um sistema. Poder, ascensão social, disputa, exploração, desgosto, submissão, perda de identidade, desengano, sedução, erotismo, alegria, musicalidade, loucura, ritual de passagem, saudades, inocência violada, perdição, vida e morte, céu e inferno. Escolhas são feitas a cada instante. 

Ficha técnica:
Concepção: Cia. Luna Lunera e Tuca Pinheiro
Direção e Coordenação Dramatúrgica: Tuca Pinheiro
Intérpretes Criadores: Cláudio Dias, Débora Vieira, Isabela Paes, Marcelo Souza e Silva e Fernando de Oliveira Pinto Coelho.

Apresentação: 05 e 06 de julho
Local: Teatro Renascença
Horário: Dia 05 de julho – 20h e 06 de julho – 20h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira), e R$ 5,00 (meia-entrada)
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 16 anos
Duração: 70 minutos

Nesta data Querida

Drama

A proposta de criação do espetáculo privilegiou a temática urbana belorizontina e sua realidade, passando por uma investigação de arquétipos cuja a universalidade serviu de contraponto a um possível e indesejado bairrismo. Os atores entrevistaram cidadãos anônimos e também buscaram inspiração para a construção de suas personagens através de fotos, imagens, poemas, fragmentos literários, músicas e notícias contemporâneas de jornais mineiros. Material base para traduzir conflitos existenciais não necessariamente regionalizados: a incomunicabilidade, a solidão em meio à massa urbana, as buscas de laços sociais, a tentativa de solidariedade, o choque das diferenças e o anseio amoroso.

Indicado ao 1º Prêmio Usiminas-Sinparc – Melhor Ator (Cláudio Dias) e Melhor Atriz Coadjuvante (Cláudia Corrêa).

Ficha técnica:
Concepção: Cia. Luna Lunera, Guilherme Lessa e Rita Clemente
Direção: Rita Clemente
Em cena: Ana Flávia Rennó, Cláudia Corrêa e Cláudio Dias
Apresentação: 08, 09 e 10 de julho

Local: Teatro de Câmara
Horário: Dias 08 e 09/07 – 20h e 10/07 – 18h
Dia 09/07: Bate-papo com o público após a apresentação
Ingressos: R$ 10,00 (inteira), e R$ 5,00 (meia-entrada)
Classificação indicativa: 16 anos
Duração: 55 minutos

Próxima Edição – Espreme Que Sai Sangue

Teatro de Rua

O espetáculo narra com música e dinamismo três crimes passionais que se tornam notícias de jornal. Situações trágicas e absurdas que permeiam nosso dia-a-dia. Histórias que passariam em branco se não fosse o apelo sensacionalista de seus desfechos e a curiosidade e o gosto humano pela tragédia:

Briga de amigos mata mulher!  Conta a saga de dois amigos de infância que vêem seus destinos transformados por uma mulher, a Rainha da Primavera do Bairro. A presença dos narradores, representando os leitores de jornal, amplia o universo da manchete trazendo estatísticas reais e absurdas sobre os temas propostos em cena.

Granfino mata filho adotivo! Melodrama latino que narra a trajetória de um excêntrico casal e do seu motorista e filho adotivo. A narração é feita pelos redatores de um jornal que compõe a notícia simultaneamente com a cena.

Menina Veneno! Drama familiar de uma paixão entre uma adolescente e seu cunhado. Tudo já previa o triste fim. Com uma banca como pano de fundo e um menino berrando manchetes metafóricas à cena, a tragédia é consumada.

Ficha técnica:
Direção: Eduardo Moreira
Elenco: Gabriel da Luz, Glauco Mattos, Leila Verçosa, Marcelo Oliveira, Mariana Jacques, Polyana Horta e Ronaldo Al­ves

Apresentações: 07 de julho – Novo Hamburgo / 08 de julho – Caxias do Sul /  09 e 10 de julho – Porto Alegre
Locais e horários: (Porto Alegre) – Dia 9 na Usina do Gasômetro, às 11h e dia 10 no Parque Farroupilha, às 11h e 15h. (Novo Hamburgo) – Dia 7 no Calçadão de Novo Hamburgo, às 11h. (Caxias do Sul) – Dia 8 na Praça Dante Alighieri, às 11h.
Ingressos: Gratuito
Duração: 60 minutos

Barbazul

Processo Colaborativo

O espetáculo tem como base a história O Barba Azul, de Charles Perrault. O mito de um homem que se casava com as mulheres e depois as matava. Esse mito fala das relações de dominação, das relações de submissão não só entre homens e mulheres, mas também entre mulheres e entre homens, e entre hierarquias sociais diversas. O espetáculo se utiliza de diversas técnicas cênicas, como dança, musica tocada ao vivo e narração de historias para contar de maneira lúdica e divertida, mas ao mesmo tempo poética e lírica, uma história mítica que fala de nossa vida cotidiana e atual. 

Ficha técnica:
Concepção e Direção: Ângela Mourão.
Atuação: Ângela Mourão e Beto Militani.
Produção Geral: Marcelo Bones

Apresentação: 13 e 14 de julho
Local: Teatro Bruno Kiefer
Horário: 20h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira), e R$ 5,00 (meia-entrada)
Duração: 60 minutos
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 10 anos

 Concessa – Tecendo prosa

Comédia

Comédia sobre o cotidiano de uma dona-de-casa simples e contestadora, que leva o público a refletir com humor sobre a simplicidade da vida, mesmo num mundo globalizado. Concessa diverte e resgata os valores mais íntimos do espectador ao envolvê-lo nas emoções, sentimentos e aspirações tão comuns a milhares de mulheres brasileiras. Livre de preconceitos e agressões, a peça é um entretenimento para todas as idades, raças, religiões e culturas, alternando momentos de densidade dramática e situações cômicas. A crítica especializada considera que a emoção é um dos principais motivos para o sucesso absoluto de Concessa, que completa em 2008 dez anos de circulação por diversas capitais e cidades do interior do Brasil. 

Ficha técnica:
Texto: Cida Mendes
Direção: Iolene de Stéfano
Apresentações: 13 e 14 de julho
Local: Teatro do Sesc (Porto Alegre)
Horário: 20h

Dia: 15 de julho
Local: Teatro Paschoal Carlos Magno (Novo Hamburgo)
Horário: 20h

Dia: 16 de julho
Local: Teatro São Carlos (Caxias do Sul)
Horário: 20h

Ingressos: R$ 10,00 (inteira), e R$ 5,00 (meia-entrada)
Classificação indicativa: Livre para todos os públicos
Duração: 70 minutos

Concessa – Pendura e cai

Comédia

O público da Concessa  costuma dizer que a personagem é tão carismática e divertida que sempre deixa um ‘gostinho de quero mais’. Foi por isso que surgiu ‘Pendura e Cai’, uma  nova montagem que tem por cenário o terreiro da casa de Concessa. As roupas da casa, o varal, o tanquinho, as galinhas e o galo tornam a composição harmoniosa e divertida. Gravidez precoce, trabalho, desemprego, estudos, amigos e namoro são pontos de partida para Concessa desfiar suas histórias, na ótica de mulher forte que, apesar da ignorância, dribla a vida com bom humor e sabedoria. 

Ficha técnica:
Atriz: Cida Mendes
Direção: Iolene de Stéfano
Apresentações: 17 de julho
Local: Teatro do Sesc  (Porto Alegre)
Horários: 18h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira), e R$ 5,00 (meia)
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 10 anos
Duração: 60 minutos.

Pedro e o Lobo

Baseada na peça musical do compositor russo Sergei Prokofiev (1891-1953), a versão para bonecos de Pedro e o Lobo reforça com imagens a ideia central da versão original: apresentar às crianças a estrutura elementar de uma orquestra, seus principais grupos de instrumentos e timbres sonoros. Sintético e comunicativo, o espetáculo tem como cenário um desenho em um quadro negro. As vozes dos personagens surgem ao vivo e o plano do palco passa a ser o do chão, ao mesmo nível dos pequenos espectadores. 

Ficha técnica:
Direção geral e marionetes: Álvaro Apocalypse
Atores marionetistas: Beatriz Apocalypse, Raimundo Neto, Ulisses Tavares

Apresentação: 16 e17 de julho
Local: Teatro de Câmara
Horário: 15h

Dia 16/07: Bate-papo com o público após a apresentação
Ingressos: R$ 10,00 (inteira), e R$ 5,00 (meia-entrada)
Classificação indicativa: Livre para todos os públicos
Duração: 40 minutos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s